quarta-feira, 1 de abril de 2009

05 atrocidades no lindo mundo dos calçados...


Outro dia eu estava revendo a minha lista de alter-egos. Como eu sou obcecada pela completude das minhas listas e sempre tento torná-las o mais "intocáveis" possível, constantemente tenho a impressão de que tem algo ou alguém faltando. Nesta minha lista de pessoas que são eu, mas no "corpo" de outra, lembrei de uma falta gravíssima: a personagem de Tony Collette em Em seu lugar.

Adoro este filme e a obsessão pela posse dos pares de sapatos mais lindos e diferentes me acompanha. Eu também sonho com o dia em que poderei ter um closet repleto com os mais lindos pisantes, com as cores e modelos mais diversos. E, assim como Toni, ter pena de usar e gastar a sola de muitos deles.

Então, com isso em mente, também lembrei de um dos primeiros textos que devo ter publicado no Receituário: Quem não tem colírio, deseja sapatos... A premissa do texto partia da ideia de que na Páscoa eu não queria chocolates, e sim sapatos. Passaram-se dois anos e dois dias desde que escrevi aquilo, e no entanto meus pedidos não mudaram muito. No entanto, inconformada com o mau gosto da maioria das mulheres que conheço e vejo nas ruas em termos de sapatos, resolvi criar a lista, gentilmente intitulada 05 atrocidades no lindo mundo dos calçados:

05) Mocassim: o uso deste tipo de calçado só é perdoado em duas ocasiões: ou você tem acima de 60 anos, ou então quer ser um homem. Tudo bem que mocassim deve ser o ápice do conforto para os pés, no entanto não me agrada nem um pouco ver aquela coisa enfeitando os meus pés. Pior ainda se for aquele modelo que normalmente tem dois penduricalhos juntos que parecem puxadores de cortina feitos em miniaturas de couro...

04) Crocs:
um caso moderno de mau gosto. Para as mulheres crescidas que existem em usar crocs (pior ainda quando elas andam desfilando por ai vestidas igualzinho as filhas de 08 anos de idade): você já é bem grandinha para usar sapatilha de plástico! E alem disso: você gostaria de ter seus pés devorados por um crocodilo? Não?! Então porque insiste em calçar algo que parece um?!

03) Sapato com salto "tijolo":
de duas uma, ou em uma vida passada você foi holandesa ou então tem muito medo de assalto e prefere sempre andar armada com esses tijolões sob os pés. A maior desculpa que as mulheres terem compulsão em usar este tipo de sapatos no dia a dia é: eu quero parecer mais alta e estes sapatos são muito confortáveis. Aqui chega ao ponto em que uma pessoa com bom senso recomenda: "Está bem querida: mas tu prefere conforto ou beleza? Porque garanto que se tu olhar no dicionário, a definição é bem diferente". Mulheres aprendam: ou vocês aceitam sua falta de estatura, ou paguem todos seus pecados em cima de um belo salto-alto. Já diriam os americanos: no pain, no gain...

02) Sapato com salto de acrílico: a não ser que você tenha ficado presa no tempo, ou então seja muito fã da (já distante) Bebel de Paraíso Tropical, não use sandálias com salto de acrílico. Pior ainda quando são aquelas a la passista de escola de samba, com salto grotesco na frente e um finíssimo atrás. O seu sonho até pode ser desfilar na Apoteose, no entanto, guarde seu sapatinho de cristal para quando pisar na avenida...

01) Bota branca:
tudo bem, até eu quando era pequena queria ter o microfone decorado da Xuxa, com as maria-chiquinhas loirinhas e bla bla bla... mas se até a Xuxa já aposentou as Paquitas, porque alguém insiste em tirar a velha bota de couro branco do armário?! Bota branca, só em festa a fantasia e olhe lá. E acredite, não importa se você está usando "boyfriend jeans" ou skinny, mini-saia ou vestido hippie, bota branca só combina com esquecimento no fundo do armário!

Recado final: o coelhinho da Páscoa vai virar churrasco se aparecer para mim com qualquer uma dessas aberrações.

No próximo Receituário:
05 canções de heróis para salvar as criancinhas! (Entendeu?!)

2 comentários:

Persiolino disse...

Adorei o post...não sou do sexo feminino mas com certeza esses calçados são bizarros...adorei tbm a parte q vc comenta "Sapato com salto "tijolo": de duas uma, ou em uma vida passada você foi holandesa ou então tem muito medo de assalto e prefere sempre andar armada com esses tijolões sob os pés."
Muito bom!!!
é a pura verdade. No metro de SP meus pés já foram vítimas deste tipo de calçado...

Josiane disse...

Lidi, não imaginava que eras uma simples mortal adoradora de sapatos. Eu já fui. Escolhia os sapatos pela beleza, sem exceções. Como mudei muito meu ritmo de vida, o meu gosto por sapatos também acabou se transformando. Estou quase na fase do mocassim, mas lembro com saudades aquela sensação de escolher modelos lindos, exclusivos, que me traziam alegrias na hora e bolhas mais tarde... Hoje algumas marcas até tentam aliar conforto e beleza, mas não entendo qual é o conceito de beleza que eles tem. Com certeza, não é o meu!