sexta-feira, 30 de março de 2007

Quem não tem colírio, deseja sapatos...

Nunca fui dada a grandes vaidades. Na verdade, nunca tive necessidades femininas indispensáveis. Vivo sem chapinha, não me importava em chegar em casa com os joelhos esfolados depois de uma partida de futebol e apesar de gostar de me maquiar, posso sair de casa com a cara limpa sem ficar com aquela aflição de que algo está faltando. Mas haveria de existir algo que despertasse em mim uma felicidade genuína por ter nascido mulher. E realmente tenho uma paixão 100% feminina!

Ahhh, como eu amo sapatos... Vejo neles a minha ligação com o universo das mulheres. Nos momentos em que coloco um salto alto agradeço a Deus por ter nascido desfavorecida de estatura. Mulheres muito altas ficam desengonçadas quando são alçadas a alturas ainda maiores. E por mais que os homens tenham virado metrossexuais e outras definições modernas, sapatos são verdadeiramente indispensáveis para as mulheres.

Sapatos são diferentes de roupas. Elas precisam caber como luvas, fechar perfeitamente com seu tipo de corpo, a cor da sua pele e seu estilo, mas não os sapatos... de diferentes formas, cores, modelos, eles completam com chave de ouro qualquer visual, do mais simples ao extravagante. E os homens podem achar isso loucura, mas as mulheres devem concordar que muitas vezes a beleza de calçado nos pés vale bem mais do que o conforto.

Bico fino, redondo como o de boneca, sapatilha, aberto, fechado, salto agulha, plataforma... não há nada mais democrático do que a infinidade de opções de sapatos que existem no mundo. Provocadores de fetiche, são objetos de desejo para qualquer mulher, que chegam a namorar, durante meses, um mesmo par em uma vitrine para que no dia em que comprá-los sinta que atingiu seu objetivo e agora tem um motivo a mais para sorrir.

Não importa o risco de quebrar o pé que eu possa correr pendurada em um salto 15, este simples artefato da moda muda a postura, não só física mas também emocional, e é dessa segurança que venho precisando. Por isso nessa Páscoa não quero chocolates! Quero mais sapatos... assim fico mais próxima dos meus sonhos e ganho um colírio para os olhos!

No próximo Receituário: lista de músicas que eu não consigo parar de ouvir...

4 comentários:

Marcella ﻬ disse...

Nossa, como eu concordo! Eu sou uma legítima discípula de Imelda Marcos, e com orgulho! Tenho verdadeiro fetiche por sapatos, assim como tu. E mesmo tu te impressionando com o tamanho e a finura dos meus saltos, ando beeem chegada a um tênis ou sapatilhas, daquelas coloridinhas e arrastando no chão. São fases...E se refletem nos pés! Mas, diferente de ti, eu sou bem mais fresca e mulherzinha pros primeiros itens citados...Ah, como eu queria sair de cara lavada e ficar tudo bem...ehehehe
Cmo não poderia deixar de ser,a dorei o post! Quem sabe assim me inspiro e escrevo sobre o indispensável - pra ti tb, que eu sei...- lápis preto!
Bjooo

Lívia disse...

put on your red shoes and dance the blues! hehe... sabe, eu não tenho fetiche por sapatos... por tênis, talvez. haha, não, nem por eles. gosto, e tudo... mas roupas e sapatos não são o que eu mais gosto de comprar... gosto de cds, livros, revistas, brincos. isso, brincos! aí está a miiinha ligação com o mundo feminino... já ia escrever que não tinha nenhuma! =P bjosss

Maitê disse...

Recuperada de nossa festa GLS?

hehehe

Abs

Paulo disse...

É lááá de cima de seus sapatos que vocês, mulheres, dominam o ambiente e olham superiores para nós. Se isso já não fosse suficente, é com seus saltos altos que vocês vão, passo a passo, pisando no coração da gente (putz, às vezes isso dói mesmo haha). Longa vida aos sapatos e às mulheres que sabem usar esse poder.