sábado, 8 de agosto de 2009

05 diretores de videoclipes que você precisa conhecer...

Depois de vários dias surtando de tédio, sem poder sair de casa e com muito tempo pra pensar, comecei a criar diversas ideias para poder atualizar este blog. Depois de descartar muitas, cogitei deletar o Receituário Pop de vez. Mas resolvi encarar mais um desafio antes de realizar ação tão drástica.

A muito tempo vivo assombrada pelo conceito Internet killed the videostar. Mesmo que cada vez mais os canais dedicados à música passem menos clipes, continuo obcecada por videoclipes. E não basta conhecer uma canção nova através do conceito visual, quero conhecer a videografia de um diretor tanto quanto me interesso pelos cineastas da tela grande. Posso ir além... se fosse fazer aquela lista básica de profissões perfeitas que você sonha ter, diretora de videoclipe é a número um com certeza.

Pensando nisso passei pelo árduo trabalho de selecionar os meus cinco diretores prediletos. E se não bastasse, me empolguei na tarefa e escolhi cinco clipes de cada um. Ou seja, se você está entediado, com medo da gripe suína, agora pode ficar em casa com bastante coisa para ver. Como tenho horror a assistir vídeos em blog, todas os nomes das músicas contém o link que leva ao mais prazeroso espetáculo musical que posso proporcionar.

05) Samuel Bayer
Inesquecível: a lista de clipes inesquecíveis deste diretor americano é grande, mesmo para alguém que começou a carreira por "sorte" no início dos anos 90. Logo no comecinho da carreira dirigiu clipes sutis, traduzindo sem grandes técnicas, mas marcantes como No rain, do Blind Melon e mais importante Smells like teen spirit, não preciso dizer de quem.
Imperdível: a estética de Bayer me parece muito conectada ao grunge e mais recentemente ao que está mais próximo de rock comercial, representado por My Chemical Romance e Green Day. Ou seja, normalmente seus clipes são diretos, sem grandes produções, sempre com uma aura mais negra, o que ajuda na idéia de baixo orçamento (mesmo que na verdade tenha custado uma bela grana). No entanto, dois clipes do Strokes chamam a atenção no meio de tanta repetição: You only live once e Heart in a cage (maravilhoso em preto e branco).
Indispensável: juro que não é pelo cantor, mas o melhor clipe de Samuel Bayer é Strangers when we meet, do David Bowie. O diretor foi por um caminho bem menos "dirty-punk" e acertou na medida do poético e do agressivo. Tudo bem que a canção é perfeita (mode Bowie's fan on), mas damos o mérito porque a aliança visual e musical é perfeita...

04) Mark Romanek
Inesquecível: dos diretores desta lista é o mais experiente no ramo dos vídeos musicais. Da metade dos anos 80 em diante, artista que se preze tem clipe dirigido por Romanek. Na minha opinião, o que faz da carreira de Mark tão marcante é que nunca se sabe o que se esperar de um novo trabalho. São tantas referências que cada clipe é uma obra particular. Dois dos clipes mais memoráveis são Are you gonna go my way, do Lenny Kravitz (mais tarde copiado descaradamente por inúmeros artistas, incluindo o Jane's addiction, na música Just because) e Rain da Madonna, que deu uma bela quebra naqueles clipes apelativos que ela fez nos anos 90...
Imperdível: mesmo estando bem distante do gênero musical que eu costumo ouvir, através do clipe 99 problems fui escutar o disco do Jay Z e fiquei bem feliz com que ouvi. Mas o clipe que chega a embrulhar o estômago de tão emocionante é o de Hurt, cover do Nine Inch Nails, feito por ninguém menos do que Johnny Cash em uma volta surpreendente ao estrelato em 2002, pouco antes de sua morte...
Indispensável: não apenas com um cover Trent Reznor ajudou Mark Romanek a fazer história. O clipe da canção Closer é verdadeira obra de arte. Foi censurado, causou comoção e foi parar na coleção permanente do Museu de Arte Moderna de NY. Quer mais?!

03) Roman Copolla
Inesquecível: o sobrenome já entregou que o cara tem que ter talento. É filho do homem e consequentemente irmão da minha musa, se é que você me entende. E assim como, se você for cool estará na trilha sonora de um filme da maninha, se você também estiver nesta categoria vai querer ter um clipe dirigido por ele. Ele costuma ter o costume de querer mostrar as bandas da forma mais crua possível, como em Last Nite, do Strokes e no empolgante video do Ima Robot, Dynomite, mas...
Imperdível: com o tempo ele foi tentando transformar o clipes em pequenos curta metragens, carregando mais significado a música como acontece no fofíssimo Lonely Day, do Phantom Planet.
Indispensável: para completar ele ainda resolveu seguir por vertentes parecidas com as do ex-cunhado Spike Jonze e fez coisas beeeem estranhas e por isso mesmo fascinantes como se pode ver nos clipes de Funky Square Dance, do Phoenix e Playground love, do Air, trilha do meu filme favorito daquela diretora...

02) Floria Sigismondi
Inesquecível: é muito bom ser um artista versátil e tudo mais, mas se eu fosse diretora de clipes queria ser como a Floria. Se você conhece o trabalho dela, quando for ver um clipe, mesmo que pela primeira vez vai saber se foi ela que dirigiu. O trabalho é completamente autoral, muito abstrato e surreal, mas da mesma forma que desejo viver no mundo de Tim Burton, também gostaria de viver no universo Floria, mesmo ele sendo meio assustador como nos seus clipes mais famosos Beautiful People, do Marilyn Manson (acho o coitado bem descartável, mas amo essa música de tanto ver o clipe) e Fighter, da Christina Aguilera (quando vi esse pensei: não gosto dela, mas a partir de hoje merece mais meu respeito do que a Britney)...
Imperdível: o que me deixa mais fascinada pelo trabalho desta italiana é que ele transcende o visual. Seja na tela do computador ou da televisão parece que toda aquela composição artística vai quebrar o vidro e sair pela sala a fora, se espalhar pelas paredes. É tudo detalhado e grandioso demais para ficar restrito a um lugar tão pequeno como pode ser visto nos clipes de Megalomaniac, do Incubus e Blue Orchid, do White Stripes...
Indispensável: Finalmente, o que me surpreende nas obras de Floria é que ela não faz apenas clipes. Ela e uma contadora de histórias nata. Sejam essas histórias pessimistas, elas ainda mantém um resquício de otimismo bem no fundinho, como no clipe do The Cure, The End of the world. Quando eu crescer quero ser Floria!

01) Patrick Daughters
Inesquecível: finalmente o número um da lista. Patrick Daughters é o novato entre os diretores. É colega de trabalho dos irmãos Coppola, mas nem por isso vive a sombra da fama dos outros. Talvez o nome não lembre nada, mas feche os olhos pense: clipe mais fofo e colorido que você viu nos últimos tempos? Se ainda ficou em dúvida, tem uma marca de lava roupas que plagiou o clipe bonito... acertou quem falou Feist, 1 2 3 4. A canadense foi uma das maiores incentivadoras do trabalho do californiano, juntamente com o Yeah Yeah Yeahs. Entre os clipes de Daughters com a banda nova iorquina está o simpático Turn into...
Imperdível: Enquanto os clipes da Floria são superproduções, detalhadíssimos, Patrick é o contrário. O que mais se encontra em seus clipes são efeitos de luzes, close ups, câmeras e planos sequenciais e tudo isso me passa uma sensação de intimidade com a música e com o trabalho. Em Lightining Blue Eyes, por exemplo, sinto como se eu estivesse passeando pelo show do Secret Machines, assim como tenho vontade de olhar pela janela para ver se o Futureheads não está no meu pátio tocando Hounds of love...
Indispensável: Patrick tem menos de 10 anos de carreira e só mostra mais maturidade a cada vídeo. Quando eu recebi minha newsletter do Interpol avisando que o clipe para No I in threesome estava no ar e era dirigido por Daughters, surtei. E o resultado não me deixou nada desapontada. Então, Patrick querido, se precisar de uma assistente, estamos aqui para isso!

Espero que da próxima vez que você assistir um clipe bacana, espere os créditos e veja quem é o diretor. Quem sabe no futuro eu não seja a única que odeia a VH1 por passar clipes legais, mas não colocar o crédito para o criador visual. Mais uma coisinha: se você ficou pelo menos "levemente" interessado pelo mundo das artes visuais, um site é parada obrigatória: Director's Bureau. Fãs da Sofia Coppola me agradeçam depois...

No próximo Receituário: quem sabe o fim?!

14 comentários:

Denis Pacheco disse...

Acho que eu nao existiria sem pensar em deletar meu blog (e as vezes todas as minhas personas virtuais) pelo menos umas 2 ou 3 vezes a cada 15 dias, rs. Entretanto, ao ler posts como esse tenho a plena certeza q nao devemos deletar bons espaços para excelentes textos.

confesso q nunca paro para ler o nome do diretor de um clipe e isso eh um erro da minha parte. Mtos deles transcendem (sem querer ser pejorativo) para os rumos do cinema, mas o fato eh q deveríamos aprender a reconhece-los e admira-los TAMBEM na esfera do videoclipe. Em tempos de Youtube, ngn mais eh capaz de matar o videostar! rs

Adorei e parabens

Livio disse...

vc tomou o gondry como hors concours, certo?

eu colocaria o Jonathan Glazer só pelo vídeo já clássico do dead weather.

Lidiana de Moraes disse...

Concordo Denis. Vontade de mandar tudo as favas é comum. Preciso encontrar um caminho pro Receituário seguir, de modo que eu me sinta comprometida com a ideia, para ele continuar existindo.
É verdade que a maioria dos diretores de clipes acaba seguindo uma carreira no cinema. Mas eu ainda me sinto mais atraída por aqueles que colocam os clipes em primeiro lugar.

Lívio: tu captou a ideia. Gondry e Jonze fora da lista porque são parte da história do videoclipe já. Quanto ao Jonathan Glazer, realmente o Treat me like your mother é magnífico. Mas prefiro ficar de olho nele ainda por mais um tempo. A videografia dele ainda é relativamente curta, mesmo tendo trabalhos importantes com o Radiohead e o Nick Cave também.

Vini e Carol disse...

Muito legal!
Mas pq não tem nenhum diretor brasileiro ai?
Pelo visto não sou só eu que não aprecia filmes nacionais. rs

Mesmo nós tendo diretores bons, são poucos os que apreciam os mesmos.

Desses que você citou eu fico com o Mark Romanek. Acho ele o mais completo e inteligente desses 5.

Abraços.

K.Rafael disse...

Não sou muito ligado em diretores de clips, desses cinco só conhecia o Patrick Daughters, acho que foi na MTV que ouvi falar algo, sei lá.

No i in treesome não é grande coisa, mas é um clip lelgal, o som dos caras combinou com o q o Patrick propôs.

Versos Controversos - Alan Salgueiro disse...

Apesar de não ser tão interado em conhecer a estética dos clipes (a isso me falta um pouco de conhecimento específico de cinema) comprovei com a sua descrição que vídeos clássicos como Strokes, Stripes e Incubus são feitos pelos caras tops no assunto. Adorei conhecer um pouco desses detalhes de bastidores.

Versos Controversos - Alan Salgueiro disse...

Apesar de não ser tão interado em conhecer a estética dos clipes (a isso me falta um pouco de conhecimento específico de cinema) comprovei com a sua descrição que vídeos clássicos como Strokes, Stripes e Incubus são feitos pelos caras tops no assunto. Adorei conhecer um pouco desses detalhes de bastidores.

Kecita disse...

Uau!

Teu blog é muuuuito massa... Sem palavras!

e vínuma comu do orkut e serei seguidora!

Maitê disse...

Lidi, e eu que não sabia que a Sofia tinha dirigido meu clipe top favorite do The White Stripes. Bah, eu tbem soh descobri esses dias que o Tim Burton tinha dirigido Bones do The Killers. Bjos

Lívia disse...

Dos diretores que tu citou, só conhecia a Floria (motivos óbvios...). Não me ligo muito em diretores de clipes, mas gosto de ver os clipes e não queria que 'morressem'. Vou assistir os videos que tu sugere. bjs e nada de deletar o blog.

carol_compulsivamente disse...

Olá Lidi! Com certeza tu precisa conhecer o Dan Ouellette. Vê o clipe "Blue" da banda The Birthday Massacre. Beijos!

Michel Souza disse...

bons clipes, várias maneiras de contar uma história e várias maneiras de se mostrar uma banda, se reinventar ou inovar sem deixar de ser si mesmo é um dom.
òtimo o clipe do jonny cash, best cover ever e o the cure!

Naty M. disse...

Legal a lista de clipes,os diretores mandam muito bem, mesmo!

Não deleta seu blog, não!Rs

Beijoos!

KarolinaB disse...

Oiiii
adorei a idéia de fazer uma lista de diretores preferidos, porque nós vemos lista de filmes, mas nunca dos idealizadores, no caso, os diretores.
obrigada pela visita / bjos