sábado, 22 de dezembro de 2007

05 personagens que valeriam uma grande reportagem...

Devido à falta de subsídios, traduzindo: computador decente e internet, o Receituário ficou parado! Mas era preciso voltar antes que 2007 acabe! Antes de 2008 ainda vem a lista de melhores discos de 2007! Como diria Regina Spektor: you just have to wait...

Aos poucos vou entrando em modo stand by. Preciso descansar um pouco e planejar o ano seguinte porque tenho uma pedreira pela frente: a temida monografia. Com anteprojeto pronto, agora é hora de por a mão na massa e a pressão é grande.

Então, como tenho respirado jornalismo literário, resolvi fazer uma lista um pouco diferente. Como fã de grandes nomes deste gênero jornalístico (porque não é apenas literatura!!!) como Gay Talese, Tom Wolfe, Joseph Mitchell e Norman Mailler tentei imaginar: se pudesse escrever grandes reportagens do tipo O Segredo de John Gould ou qualquer uma contida em Fama e Anônimato, sobre quem eu faria?

De repente, assistindo um filme, me deparei com a idéia: existem personagens no cinema tão humanos e fascinantes que se fossem reais seriam grandes temas para até mesmo um livro. Para preservar a integridade da idéia de realidade, tirei qualquer personagem de filmes de fantasia. Não é dessa vez que eu entrevisto o Sirius Black!!! Aqui vai a lista de 05 personagens que valeriam uma grande reportagem...

05) Frank Slade - provavelmente só há um ator que conseguiria implacar mais personagens nesta lista do que Al Pacino (e ele aparece depois). No entanto não conheço alguém mais intrigante que o cego de Perfume de Mulher. Se Hunter Thompson acompanhou a saga do Hell's Angels, viajar por Nova York com uma pessoa que não enxerga dirigindo, seria no mínimo fascinante! Sem contar que a cena do tango daria uma bela observação detalhadíssima...

04) Trevor Reznik - como esse homem se transformou no Batman? Em O Operário, Bale dá vida a um homem que está prestes a morrer porque sofre de insônia. Trabalhando em uma fábrica Trevor coloca a própria vida e a dos outros em risco devido a todos os efeitos colaterais de um ano sem dormir. Não apenas a integridade física está a perigo, mas também a sanidade de Reznik. Uma das frases que define o filme seria um ótimo ponto de partida para uma grande história: Como você acorda de um pesadelo, quando não está dormindo?

03) Lester 'Worm' Murphy - as reportagens policiais ficaram muito mais interessantes depois do surgimento do jornalismo literário e apesar de Truman Capote ter me decepcionado em outras obras, A Sangue Frio sempre será um clássico. Então, para uma boa reportagem criminal eu gostaria de seguir os passos do personagem de Edward Norton em Cartas na mesa. Concordo que o ator tem outros personagens mais fascinantes como em As duas faces de um crime ou Clube da Luta, no entanto Murphy está imerso no mundo da jogatina que eu acho extremamente interessante...

02) Ethan Powell - finalmente o ator que mais dificultou minha vida. Como escolher apenas um personagem do grande Anthony Hopkins. Isso que descartei de cara a chance de entrevistar Hannibal Lecter! Então fiquei entre o assassino que quase realizou o crime perfeito e o antropólogo de Instinto. Venceu a antropologia! Powell é um antropólogo que vai morar na selva da África para estudar macacos e desaparece. Quando ele finalmente é encontrado, dois anos depois, ele parece ter o instinto assassino da sobrevivência adquirido pelos anos de convivência com os animais. Internado em uma clínica para doentes mentais, dai se desenrola uma grande investigação psicológica sobre a vida de Ethan. Resumindo, homem passa a viver em meio a macacos e se torna assassino quando volta a civilização. Manchete longa mas chamativa...

01) Arthur Abbott - finalmente o número 1, o homem que inspirou essa lista. Que eu adoro o filme O Amor não tira Férias, todo mundo sabe. Mas apesar de Jude Law sempre ser um grande atrativo, a razão do meu afeto no filme de Nancy Meyers é esse personagem vivido por Eli Wallach. Arthur é um antigo roterista de filmes clássicos de Hollywood. Agora, já velhinho, ele guarda em casa e na memória, lembranças da era dourada do cinema americano. O discurso de Arthur quando ele vai receber uma homenagem pela sua contribuição para o cinema define bem o personagem: "Eu vim para Hollywood a mais de 60 anos e imediatamente me apaixonei pelos filmes. E este é um romance que tem durado uma vida inteira. Logo que eu cheguei a Inseltown, não havia cineplexes ou multiplexes. Nada do tipo Blockbuster ou DVD. Eu estava aqui antes dos conglemerados serem donos dos estúdios. Antes dos filmes terem equipes de efeitos especiais. E definitivamente antes dos resultados do box office ser noticiado como o resultado do baseball no jornal da noite...". Horas e horas de conversas passariam como um raio, com tantas histórias maravilhosas para serem contadas...

No próximo Receituário: apenas os melhores...

6 comentários:

Leonardo Bomfim disse...

Eu queria ver o Tom Wolfe escrevendo um livro/reportagem sobre a família Gracie!

Denis Pacheco disse...

Vamos lá, lista de personagens ficcionais para entrevistar:

5) Alex DeLarge (o primeiro ultraviolento)
4) Doutor Emmet L. Brown (criador da mais estilosa máquina do tempo)
3) John McClaine (herói que salvou sozinho o pessoal no Nakatomi!)
2) Penny Lane (como era ser groupie do Stillwater?)
1) Yoda (sobre a Força, aprender eu quero)

(Mais pop eu né? rs)

Livia disse...

adoro o operário, é um dos meus filmes preferidos, e adoraria ver uma reportagem tua sobre o trevor! bem, sobre as cadeiras; a princípio, vou fazer literatura americana séc XX, teoria literária - modelos da narrativa e da poesia, sintaxe da oração, ppl4, inglês pré-avançado 2, didática, psicologia da educação II, latim 1 (o nome é elementos de língua latina 1) e francês 3.

maitem disse...

Meu blog novo precisa de sugestões dançantes musicais de Lidi pocket. Bju

Stéph Dias disse...

Dividimos o mesmo encantamento pelo filme, sobretudo pelas duas estrelas mencionadas.

Livio disse...

LCD pra vida!

Danny Ocean: a primeira entrevista do maior e mais elegante ladrão de todos os tempos!

Dr. Mierzwiak: por entre as memórias do médico que apagou o passado.